Paraná tem 70 candidatos que receberam Auxílio Emergencial e declararam ao menos R$ 1 milhão em bens

O Paraná tem 70 candidatos que irão concorrer nas eleições de 2020 que receberam Auxílio Emergencial e declararam pelo menos R$ 1 milhão em bens. O levantamento foi feito pelo G1 com base nos dados do Ministério da Cidadania e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Entre os bens declarados pelos candidatos, estão imóveis, propriedades rurais, uma lancha e uma aeronave. Apesar de determinar teto de renda, o auxílio não estipula limite de bens para receber o benefício.

O candidato a vereador de Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, Ezequiel Lucas de Souza (PSB) declarou ter R$ 1 milhão em bens, entre os quais uma aeronave de pequeno porte avaliada em R$ 250 mil.

O avião é de uso privado, segundo registro na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Segundo os dados do Portal da Transparência, o candidato, que também declarou ter uma cafeteria, recebeu R$ 2.400 de Auxílio Emergencial entre abril e agosto.

O candidato disse ao G1 que não pediu para receber o auxílio, mas que o dinheiro foi depositado de forma automática, pois está inscrito no programa Minha Casa, Minha Vida. Segundo ele, o dinheiro não foi usado e deve retornar para a Caixa.

“Automaticamente eles já ficam com o dados, está no sistema do Cadastro Único, mas foi feita uma solicitação para fazer o cancelamento. O valor está disponível na minha conta poupança, mas eles vão puxar de volta”, afirmou.

A candidata Luiza Camila dos Santos Czerwonka (MDB), que concorre a uma vaga na Câmara de Icaraíma, no noroeste do Paraná, declarou ter uma lancha avaliada em R$ 105 mil.

Ao todo, a candidata disse ter R$ 1,1 milhão em bens. Conforme o banco de dados do governo federal, Luiza recebeu R$ 1.800 de Auxílio Emergencial.

Luiza Camila disse que é microempreendedora individual e, por isso, tem direito ao benefício. A candidata afirmou que tem uma marina de embarcações em Porto Camargo, local conhecido pelas prainhas de água doce.

“Eu solicitei porque eu pago o MEI, mas já parei de receber. Eles liberaram para gente começar a trabalhar de novo com os devidos cuidados. Está tudo certinho”, comentou.
Em ambos os casos, o Portal da Transparência do Auxílio Emergencial não indicou indícios de irregularidades.

G1
16:30:02

1 Comment

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: