Washington retirou da Rússia fonte que confirmou papel de Putin em interfência na campanha de 2016

A CIA obteve informações de uma fonte de alto nível do governo russo que confirmou que o presidente Vladimir Putin teve um papel direto na interferência na campanha eleitoral dos Estados Unidos de 2016, indica a imprensa americana.

A fonte, que forneceu informações durante décadas, tinha acesso a Putin e enviou documentos de alto nível do gabinete do presidente russo, informou o canal CNN.

A emissora afirmou que o espião foi retirado da Rússia em 2017 devido à preocupação de que o presidente Donald Trump ou seu gabinete poderiam expô-lo ante uma reiterada má gestão de informações confidenciais.

A Agência Central de Inteligência (CIA) rebateu a notícia. A diretora de Relações Públicas da agência, Brittany Bramell, declarou a CNN: “Especulações equivocadas de que a gestão do presidente de informações de inteligência sensíveis, às quais ele tem acesso todos os dias, levou a uma suposta operação de exfiltração é algo impreciso”.

A CIA ofereceu a retirada da fonte de Moscou no fim de 2016, mas o informante se negou inicialmente alegando razões familiares, informa o jornal The New York Times.

Isto disparou temores de que o informante, que não foi identificado, havia se convertido em um agente duplo. Meses depois, no entanto, ele cedeu, completou o jornal.

As informações apresentadas pela fonte levaram o serviço de inteligência americano a concluir que Putin orquestrou de maneira direta uma interferência na campanha presidencial a favor de Trump.

O jornal indicou que a fonte também vinculou Putin diretamente ao ataque de hackers contra os e-mails do Comitê Nacional Democrata. O conteúdo embaraçoso das mensagens foi divulgado e prejudicou a campanha de Hillary Clinton.

AFP
11:45:02

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *