Comida, lazer e vestuário puxam inflação da baixa renda, aponta FGV

A inflação da baixa renda, medida pelo IPC-C1 (Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1), avançou puxada pelos preços com alimentação, vestuário e lazer.

Em setembro, o indicador marcou 0,89%, acima dos 0,55% registrados em agosto, informou a FGV (Fundação Getulio Vargas) nesta terça-feira (6).

O IPC-C1 mede a variação da cesta de compras para famílias brasileiras com renda até 2,5 salários mínimos, ou seja, residências com renda mensal de até R$ 2.612,50.

Em 2020, o a inflação da baixa renda acumula 3,13%. Já nos últimos 12 meses, o acúmulo está em 4,54% – bem acima dos 2,65% acumulados da inflação oficial medida pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e que abrange famílias que ganham de 1 a 40 salários mínimos (de R$ 1.045 a R$ 41,8 mil).

R7
10:30:03

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: