Cientistas debatem por que os extraterrestres não respondem à Terra

A organização METI, que tenta se comunicar com outros planetas, se reuniu neste fim de semana em Paris com vários cientistas para discutir por que, apesar das inúmeras tentativas, os extraterrestres ainda não respondem às mensagens da Terra.

“Quando se tenta entender melhor o universo, a questão de saber se você está sozinho é inescapável”, disse à AFP Florence Raulin-Cerceau, doutora em astronomia e professora do museu francês de história natural.

A organização internacional Messaging Extraterrestrial Intelligence (Enviando Mensagens à Inteligência Extraterrestre, METI), com sede em São Francisco, dedica-se ao envio de mensagens para outros planetas.

De acordo com o seu presidente, Douglas Vakoch, também devemos discutir a falta de resposta, mesmo que “procuremos algo que não sabemos se existe”.

“Onde estão?”, perguntou em 1950 o físico e prêmio Nobel Enrico Fermi quando conversava com seus colegas sobre a vida extraterrestre no refeitório do Laboratório Nacional de Los Álamos (Estados Unidos).

Para ele, era surpreendente não ter cruzado com extraterrestres levando em conta a imensidão do universo e a idade da galáxia. Uma pergunta que é conhecida como “paradoxo de Fermi”.

Desde então, tem havido muitas tentativas de contato, como o programa Breakthrough Listen, liderado por físicos da Royal Society Science Academy de Londres, ou as pesquisas do instituto SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence), na Califórnia.

Para examinar a possível presença de atividade inteligente são usadas técnicas como frequências de rádio, feixes de laser ou objetos artificiais em órbita na frente de estrelas, como as esferas de Dyson.

No entanto, trata-se de “pesquisas muito recentes”, aponta Florence Raulin-Cerceau, lembrando que levará várias gerações antes de ter respostas.

“A formação da Terra data de 4,6 bilhões de anos e a pesquisa extraterrestre apenas 40 anos”, explica Cyril Birnbaum, responsável pelo planetário do museu da ciência de Paris, que prepara para 2020 um filme sobre o paradoxo de Fermi.

AFP
12:15:30

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *