Marco

País bate recorde em capacidade de energia instalada em 2016
Brasil

Energia eólica representou 27% da capacidade, a segunda maior fonte de geração de energia. (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

Em 2016, o Brasil registrou recorde anual de nova capacidade instalada de energia elétrica.

Até dezembro do ano passado, foram adicionados ao sistema elétrico nacional 9.526 megawatts (MW), maior valor desde o início da série histórica, em 1998, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Para este ano, está previsto um incremento de 7.120 MW de capacidade instalada.

A fonte que mais cresceu em números absolutos em 2016 foi a de grandes usinas hidrelétricas, com um incremento aproximado de 5 mil MW, representando 53% do total.

Energia eólica
A segunda fonte com maior capacidade instalada acrescida foi a eólica, com 2.564 MW, 27% do total da capacidade instalada até novembro de 2016.

Durante o ano, a fonte eólica registrou aumento superior a 20% com relação à capacidade instalada em 2015. Até dezembro de 2016, havia 10.092 MW nas usinas eólicas em operação. O estado do Rio Grande do Norte foi o que mais contribuiu para o incremento da potência eólica instalada no País, com cerca de 920 MW, seguido pelo Ceará, com acréscimo de aproximadamente 600 MW, e o estado da Bahia, com 520 MW incrementados.

Em 2016, as usinas termelétricas contribuíram para um acréscimo de 1.758 MW, representando 18% do total, e as Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) somaram 203 MW, 2% do total.

2017
Neste ano, a fonte com maior expectativa de crescimento absoluto é a hidrelétrica, a partir de grandes usinas, com aproximadamente 4 mil MW. O crescimento relativo da fonte eólica novamente deverá ser expressivo, com um incremento de cerca de 2,4 mil MW.

Também se destacam a continuidade da motorização da UHE Belo Monte, a entrada em operação comercial de complexos eólicos e da UTE Mauá 3 (590 MW), em construção na cidade de Manaus, no Amazonas.

(Portal Brasil)

17:30:30

2 thoughts on “Marco

  1. Isso é bobagem. Enquanto os países de primeiro mundo estão investindo em reatores nucleares de 4ª geração, os governos de países subdesenvolvidos são incentivados a jogar dinheiro fora com essas “fontes alternativas” de energia.

  2. Engano seu Anônimo de 12 de janeiro de 2017 às 01:05, enquanto os países de primeiro mundo buscam acabar com a dependência de energia nuclear, energia essa muito suja, extremamente nociva a todo tipo de vida no planeta, aqui no Brasil está em construção a usina de Angra 3, durante o governo de Dilma Russef.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.